É Bonito, é Bonito e é Bonito

Hoje vamos falar de um dos destinos brasileiros mais comentados e que marca a vida de todos que passam por ele: Bonito – MS. Local com título internacional, abrange várias atividades a céu aberto, enfim, perfeito para ficar boquiaberto! A Luiza Mussnich (@luizamussnich) detalhou os picos e curiosidades desse lugar mágico!

De olho nos feriados que estão por vir, vamos falar de um destino nacional, querido dos brasileiros e viajantes mundo afora. Para nós, as viagens que mais valem a pena unem: natureza, bem estar, atividades ao ar livre e esporte.

Em Bonito, na região sudeste do Mato Grosso do Sul, dá pra ter tudo isso. O lugar não poderia ter outro nome. Gracinhas à parte, o paraíso brasileiro de ecoturismo teria permanecido incógnito se, na década de 1970, não tivesse sido encontrado um buraco de 72m de profundidade (o equivalente a um prédio de 26 andares) no chão. Era o abismo de Anhumas, como foi batizado, uma caverna localizada a 23km de Bonito. O município recebeu em 2013 o prêmio de melhor destino de turismo responsável do mundo — World Responsible Tourism Award — em Londres.

Há quem se refira a Bonito como “Disney ecológica”: rapel, trilhas, cavalgadas, passeio de bicicleta, circuitos de arvorismo, snorkel, scuba e flutuação são algumas das modalidades mais praticadas na região.

Recomenda-se uma estada de cinco dias para conseguir dar conta das muitas atrações — são cerca de 40 atrativos. É importante reservar os passeios com antecedência devido à concorrência.

Aqui, um apanhado enxuto de alguns programas imperdíveis:

  • Rapel no Abismo de Anhumas

É o passeio mais radical de Bonito. A descida vertical pela fenda é a única forma de acesso a esse paraíso (claustrofóbicos devem evitar!) e dura algo em torno de 5 minutos, a uma altura de 72m ou um prédio de 26 andares. No dia anterior é dado um treinamento para os aventureiros. São  apenas 20 vagas e duas descidas por dia.

Finda a primeira parte da aventura, o visitante chega num deck flutuante localizado sobre as águas azuladas (e geladas — a temperatura é de 18 graus) que chegam a 80m de profundidade. A paisagem é completa com os estalactites que decoram a caverna. Se você tem certificado de mergulhador de Scuba, é possível praticar a modalidade.

  • Flutuação no Aquário Natural ou no Rio da Prata

Flutuações são um dos carros chefes do destino. É proibido bater os braços e pernas na água para não levantar sedimentos e atrapalhar a visão. Nesses passeios, vê-se animais aquáticos e vegetações típicas. O Aquário Natural é mais recomendável para crianças, pois é tranquilo e sem correnteza. A flutuação do Rio da Prata tem um percurso extenso com trechos de corredeiras e pedras pontiagudas das quais se deve desviar.

  • Gruta do Lagoa Azul

A cavidade do cartão-postal de Bonito tem cerca de 60 milhões de anos e já foram encontrados fósseis de animais pré-históricos, como tigre-dente-de-sabre. O ponto turístico está tombado pelo Iphan desde 1978. Dentro da gruta há um lago com água cristalina onde se pode mergulhar.

  • Passeio de bote ou Bóia Cross no Rio Formoso

Na descida pelo Rio Formoso, o visitante passa por quedas d’água e contemplam fauna e flora da região. Para os mais radicais, sugerimos que experimentem o Bóia Cross: são bóias individuais infláveis que descem pelas corredeiras.

  • Buraco das Araras

Excelente oportunidade para observar esses animais em seu habitat. O interior da gruta de 120 metros de profundidade e 160 metros de diâmetro é lar de araras vermelhas e maritacas. Pelas trilhas do mirante é possível ver as aves voando.

 

  • Praia da Figueira

Com quiosques, espreguiçadeiras e restaurantes é um bom lugar para relaxar e contemplar a paisagem, além da fauna abundante. É possível alugar pranchas de Stand up paddle, caiaques e pedalinhos, além da tirolesa.

  • Quando ir:

Entre dezembro e março, o calor é intenso (temperaturas na casa dos 30 graus), as cachoeiras estão mais cheias e a mata, mais verde, mas há menos peixes nos rios. Alguns passeios podem ser desmarcados e a água pode ficar turva. A partir da segunda semana de dezembro ao início de fevereiro, no entanto, o sol incide na Gruta do Lago Azul, o que torna a visão ainda mais bela.

Entre maio e agosto, na estação seca, os rios são mais cristalinos e com mais peixes. A temperatura, à noite, pode chegar a 15 graus.

Os períodos de férias costumam ser mais cheios e a procura pelo destino é grande. É importante planejar a viagem com antecedência.

  • Problema de conservação e poluição:

Numa matéria de abril deste ano do Fantástico é dito que as águas de bonito estão menos cristalinas. Segundo a reportagem, os ambientalistas dizem que o problema é causado por plantações, construções irregulares e estradas construídas em áreas de preservação. Fica o alerta para que alguma providência seja tomada.

Deixe um comentário

Share This