Viagem ao Peru por Luiza Mussnich

A Luiza Mussnich (@luizamussnich) nasceu no Rio de Janeiro, em 1991. É autora dos livros Um dia o amor vai encontrar você (2016), Microscópio (2017), A Vista do Rio (2017), Lágrimas não caem no espaço (2018) e Para quando faltarem palavras (2018). Mais sobre a autora em luizamussnich.com .

Abaixo, começaremos a contar sobre a viagem feita pela Luiza ao Peru com dicas sobre os lugares visitados e comidas típicas da região.

 

Tem gente que gosta de viajar para comer bem. Tem gente que gosta de viajar pela cultura de um lugar. Tem gente que viaja movido pela fé. Tem gente que viaja para estar perto da natureza. No Peru, você consegue reunir todos esses porquês no mesmo destino.

Tudo bem que horário e opção de voos para o Peru não são os melhores (meu voo decolou 5:10h) e as atrações são muito descentralizadas, o que dificulta mobilidade e logística (ainda preciso voltar umas quatro vezes para lá pra conhecer tudo que gostaria). Mas esqueci de tudo isso quando estive no país.

O desenvolvimento da civilização peruana foi favorecido pela produtividade do seu mar, pelos vales criados por rios provenientes da Cordilheira dos Andes e por seu clima semi-tropical. Os povos antigos se adaptaram com criatividade à geografia diversa do país. Não à toa, o Peru integra o grupo de civilizações que prosperaram de maneira independente e são tidas como berço do mundo. Quase um quarto do território peruano é patrimônio universal da UNESCO.

Lima, a capital, é considerada a melhor cidade do mundo para se comer (https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-03-02/why-lima-is-the-world-s-best-food-city-by-the-numbers). São mais de 4000 (quatro mil, você não leu errado) tipos de batata e 500 tipos de milho, uma variedade enorme de ceviches e outras especialidades peruanas, como o porquinho da índia (também morri de pena).

 

Minha experiência no Peru envolveu, quase o tempo inteiro, cultura, natureza, esporte, culinária e misticismo.

Nos próximos posts iremos falar sobre alguns desses lugares (não muito distantes de Cusco) para não deixar de visitar e por quê. Se quiser receber essas dicas por e-mail é só se cadastrar no nosso site.

 

Deixe um comentário

Share This