Fotografia de viagens: como capturar momentos incríveis?

Viajar é uma experiência muito enriquecedora. Se você puder guardar registros dos lugares incríveis que conheceu, fica melhor ainda. Fazer fotografia de viagens é uma forma de manter suas lembranças sobre o destino visitado sempre vivas na sua memória!

Com a disseminação das redes sociais, que permitem que o compartilhamento dessas imagens, fez nascer um interesse maior das pessoas em fotografia (principalmente do segmento de viagens) e nas técnicas utilizadas para conseguir tirar essas fotos.

Além disso, a fotografia de viagens também é muito importante para o turismo. Hoje em dia, as imagens são um dos principais instrumentos para instigar as pessoas a conhecer um lugar. Com uma boa foto, é possível atrair centenas ou milhares de turistas, que contribuem para a movimentação da economia com geração de renda local. Já parou para pensar nisso?

Neste post, vamos dar algumas dicas para que você possa tirar fotos iradas na sua próxima viagem. Continue a leitura para saber mais!

Observe (e pesquise sobre) o cenário

Quando estiver preparando uma viagem, você provavelmente vai fazer pesquisas sobre como é a paisagem local, ainda mais se for fã de atividades ao ar livre.

Se puder, aproveite esse momento para pesquisar sobre o cenário das suas fotos, olhando as imagens disponíveis na internet. Encontre locais que chamem a sua atenção, pontos que você gostaria de fotografar, áreas turísticas que não podem ficar de fora dos seus registros etc.

Tudo isso serve para ajudá-lo na hora de fazer a foto. No entanto, o que vale mesmo é o que você encontrará durante a viagem. Tenha em mente que tipo de imagens você quer fazer, mas sem perder a naturalidade do momento. Se vir algo que o encanta e o surpreende (um animal selvagem, por exemplo), registre!

Escolha um bom ângulo

Escolher um bom ângulo nem sempre é uma tarefa fácil e só se aprende na prática, fotografando. Você precisa acostumar seu olhar a entender o que é um bom quadro (tudo aquilo que está dentro da foto, demarcado pelas linhas do “buraco” da câmera), mas é possível se basear em duas boas dicas, que todo mundo consegue colocar em prática:

  1. Alinhe seu horizonte: procure onde está o horizonte? Para uma foto harmônica, ele deve estar no centro do quadro, nem muito em cima, nem muito embaixo — muito menos torto;
  2. Livre-se dos objetos que “sobram” no quadro: tem um pé ou uma mão de outra pessoa entrando na sua foto? Ou uma parte de um edifício, janela, porta etc? Enquadre novamente para que esses itens fiquem fora da sua foto!

Use a luz a seu favor

Fotografia é luz. Quando você faz uma foto durante o dia, as condições de luz podem determinar como ficará uma imagem. Em um dia de sol, por exemplo, cada horário traz algumas especificidades que podem influenciar na sua foto:

  • amanhecer: geralmente produz fotos com sombras alongadas e rosadas;
  • de manhã até o meio dia: um dos melhores horários para fotografar, pois a luz é boa durante todo esse período, rendendo fotos bem iluminadas;
  • a partir do meio dia: o sol está em seu período mais forte, então, pode causar sombra nos quadros;
  • entardecer: também conhecido como “golden hour”, pois gera imagens em um tom alaranjado, trazendo um efeito aconchegante às fotografias.

No entanto, se o dia estiver nublado, é possível que você não veja essas transformações da luz. Nesse caso, suas fotos terão menos contraste, por causa da luz difusa que passa por entre as nuvens.

Brinque com as sombras

Assim que você começar a perceber os detalhes da luz, vai querer também brincar com as sombras. Ás vezes, uma foto fica mais interessante quando se inverte a lógica de luz/sombra.

Um bom exemplo são as silhuetas. Imagine uma foto em uma paisagem incrível, só com a silhueta de alguém. Nesse caso, você deve posicionar a pessoa fotografada de costas para a luz, enquanto o fotógrafo fica de frente.

Aproveite as imperfeições do quadro

Se você estiver fotografando ao ar livre ou próximo a uma lâmpada ou vela, pode acontecer um fenômeno conhecido como flare. Isso ocorre quando a luz passa diretamente através da lente da câmera, deixando aquelas formas arredondadas sobre as fotos.

Aproveite para utilizar esses efeitos dentro do quadro. Desse modo, o que era para ser uma “imperfeição” ou “falha” da imagem se torna uma característica interessante da foto.

Confira outras dicas

  • Segure com firmeza: para não correr o risco de que suas fotos fiquem tremidas, segure a câmera ou o celular com as duas mãos. Para isso, é preciso ter os dois braços livres (por isso a importância de levar uma mochila em suas viagens);
  • Se tiver, leve um tripé com você: não é um equipamento muito pesado, e ajuda você a tirar fotos de panoramas ou paisagens mais abertas. Além disso, com o tripé, você reflete mais sobre o posicionamento da foto, consegue pensar com calma no que quer ou não colocar no quadro etc.
  • Observe os detalhes: quando estamos em uma viagem, é praticamente impossível capturar tudo o que queremos. Por isso, procure detalhes a cada local que for: talvez esse detalhe consiga contar uma história mais interessante do que uma imagem de quadro mais amplo. Essa dica é interessante, também, para aqueles pontos turísticos que todo mundo já conhece: pode ser bacana trazer uma foto diferente;
  • Tenha paciência: às vezes, uma foto interessante demora a sair, e isso é natural. Respire fundo, acalme-se e se concentre no que você está fazendo. Aos poucos, conforme for desenvolvendo sua habilidade com a fotografia, você vai perceber que esses momentos se tornam mais fáceis.

Por fim, vale lembrar que é possível fazer fotografia de viagens com equipamentos muito simples: smartphone, câmeras não profissionais etc.

Como você viu, é preciso desenvolver um olhar atento ao que acontece no quadro: onde a luz está batendo? Como as pessoas estão posicionadas na foto? Com que elementos posso brincar para criar efeitos diferentes na minha foto? — e por aí vai. O mais importante, porém, é curtir a sua viagem!

Gostou deste post? Então, que tal continuar aprendendo mais sobre viagens lendo outro artigo sobre os melhores lugares para fazer trekking no Brasil?

Tags:
Blog Comments

[…] A entrada é gratuita e o passeio ao Parque pode ser feito em poucas horas. Por isso, vale investir em um dia em Santa Tereza: conhecer o Bar do Mineiro (chegue cedo porque sempre tem fila para comer a deliciosa feijoada), as lojinhas de artesanato, o bonde. Depois, à tarde, caminhe até o Parque das Ruínas. Lá, você encontrará um mirante com vista para o centro e região sul do Rio de Janeiro. A vista é incrível e rende fotos maravilhosas!  […]

Deixe um comentário

Share This