Como fazer um mochilão?

mochilão

Fazer um mochilão pode ser uma experiência transformadora. No entanto, ser um viajante independente exige muito mais planejamento e pés no chão do que se imagina. É muito tentador catar aquela mochila surrada e sair caminhando pelo mundo. Spoiler: não vai dar certo.

Existem muitas dúvidas sobre como fazer um mochilão; o que é preciso colocar na mochila é um bom exemplo. Bom, é preciso refletir sobre alguns pontos-chave ao se planejar. O primeiro é o mais importante deles é tomar a decisão de conhecer o mundo.

E se você está com esse espírito, boas notícias! A seguir, vamos explicar mais a fundo como se preparar, passando pelos temas mais importantes.

Vamos nessa?

Organizando a documentação

Logo após ter a ideia de realizar um mochilão, a primeira coisa a fazer é resolver toda a documentação. É uma etapa primordial no processo, porque pode delimitar algumas opções e influenciar nas escolhas quem vêm a seguir.

Para evitar dores de cabeça, comece pelo básico: identidade bem conservada, passaporte com ao menos seis meses antes da data de expiração e certificados de vacinação para os países que você pretende visitar.

Vistos

Para entrar em alguns países — como os Estados Unidos, Japão ou Austrália — é preciso apresentar o visto de turismo. Esse documento é pago, o que exige planejamento antecipado para alguns destinos.

Pelo menos alguns meses antes da viagem será necessário fazer uma visita ao consulado do país para concluir a parte burocrática e pagar uma taxa. Depois, ainda é preciso torcer um pouquinho para ser liberado, mas na maioria das vezes tudo funciona bem.

A Europa costuma ser mais liberal nesse quesito, já países anglo-saxões e do Oriente Médio, incluindo os Emirados Árabes, podem ser mais rígidos e até mesmo vetar seu visto.

Escolhendo a mochila ideal

Essa é uma fase subestimada. Aliás, como fazer um mochilão sem a mochila ideal? Ela será a única e principal companhia em toda essa experiência, portanto, faça uma boa escolha. Nem sempre é possível, de fato, partir somente com uma mochila. Mas se você tiver esse espírito, tenha certeza de que ela comporta tudo que você vai precisar.

Existem diversos modelos com uma boa capacidade. Além disso, encontre formas de mantê-la organizada e sempre em segurança, seja com cadeados ou capas de proteção. Isso serve para impedir que algo seja furtado ou mesmo que ela seja utilizada para fins indevidos por terceiros.

Se precisar de um espaço extra, não hesite em levar uma mala que se adapte ao seu roteiro. É sempre bom considerar uma bagagem de mão além da mochila, por exemplo. Deixá-la muito pesada pode ser um empecilho.

Isso sem falar nos gastos extras na logística de transporte e deslocamento pelos seus destinos. Acertar na mochila economiza tempo e grana.

Planejando com cautela

Quando você estiver satisfeito com seu planejamento, achando que está tudo certo e não existe mais o que pesquisar, bom, você deve continuar planejando. Buscar falhas em pequenos detalhes é o que diferencia o bom mochileiro.

Antes de partir, pelo menos meses antes, você deve iniciar seu planejamento e absorver o máximo de informações sobre seus destinos e sua viagem de um modo geral.

Vá além dos cartões postais ao pesquisar um destino, por exemplo. Mochilar é explorar:

  • a cultura local e sua história;
  • a memória da cidade e seu legado político;
  • sua topografia, economia, gastronomia;
  • os esportes locais;
  • as riquezas naturais, entre outros.

A internet é uma ótima fonte para iniciar o planejamento. Em todos os aspectos — como transporte e estada — dicas valiosas estão à disposição em sites e fóruns especializados. É possível colher percepções diversas e avaliações sobre tudo.

Dependendo do seu destino, uma determinada época do ano pode ser melhor do que outra. Pode ser que esteja mais vazio ou mais barato fora das temporadas tradicionais. Use isso a seu favor. Um bom planejamento, de fato, vai afetar todo o resto do seu mochilão: ele acaba influenciando em tudo. Portanto, capriche e tome o seu tempo aqui.

Montando o roteiro

A melhor forma de chegar a um consenso na hora de montar o roteiro é adotar a experimentação. Vá tentando até perceber a melhor opção, que naturalmente, se destacará entre as outras. Crie uma lista dos destinos em pauta e depois pesquise pontos como:

  • rotas e meio de transporte;
  • custos com estadia;
  • meios de acessar as atrações do local;
  • características gerais como o clima, a cultura dos nativos etc.

Uma boa dica para montar um roteiro é encontrar conexões entre os destinos e a melhor forma de ligar esses lugares. Existe um serviço de trens barato de uma cidade até a outra? O hostel é muito mais barato em uma cidade próxima? Use tudo a seu favor!

Também é legal compartilhar seu roteiro finalizado em fóruns públicos de sites especializados para receber o feedback de pessoas que já estiveram lá. Sugestões como essas enriquecem seu roteiro final. No mochilão, inclusive, você é o dono do seu destino e deve aproveitar boas oportunidades.

Tenha em mente que o roteiro é apenas um esboço do itinerário que você pode tomar. Ficar mais ou menos tempo em uma cidade, encontrar um hotel melhor, comer em um lugar diferente — tudo isso pode ser afetado por muitos fatores, como:

  • oportunidades;
  • clima;
  • verba;
  • novas informações, entre outros.

Fechando o orçamento

Administrar o orçamento em um mochilão é praticamente uma arte. São tentações que aparecem frequentemente, mas é preciso tomar atitudes sensatas que não prejudiquem a viagem. Pense muito bem antes de gastar qualquer quantia.

Independentemente dos seus hábitos de consumo, ao definir um orçamento, você delimita uma faixa e não um valor fechado. Você fica propenso a muita coisa, e, por isso, precisa de certa flexibilidade para agir.

Feito isso, dormir em um hostel bacana ou tomar aquele sorvete de 20 euros são decisões suas e devem ser manejadas como for conveniente no momento. Sua experiência é você quem faz, por isso, defina suas prioridades.

Então, curtiu nosso post? Partiu se preparar para a viagem? Agora você já sabe como fazer um mochilão, se tiver sobrado alguma dúvida ou quiser compartilhar uma experiência, deixe um comentário agora mesmo! Queremos saber o que você tem a dizer!

Deixe um comentário

Share This