5 destinos incríveis para fazer um mochilão barato

Viajar é uma das experiências de vida mais impactantes que qualquer pessoa pode ter: você volta com a cabeça fresca, com energia para criar novos projetos e certamente com mais autoconhecimento e equilíbrio. Mas nem sempre dá para combinar a vontade de viajar pelo mundo com o orçamento. Por isso, fazer um mochilão barato é uma das alternativas para quem quer conhecer lugares incríveis sem gastar muito.

Neste post, elencamos cinco destinos incríveis que combinam preços baixos com cultura, paisagens naturais belíssimas e muita história. Prepare a mochila e boa leitura!

1. Pokhara e Kathmandu, no Nepal

O Nepal é um dos países asiáticos mais baratos do mundo. Isso porque a desigualdade de mercados faz com que o valor da moeda de lá seja muito mais baixo do que o dólar, que todo mundo usa, tradicionalmente, para comparar preços. Uma rúpia nepalesa equivale a US$ 0,01. Ou seja: impossível ficar mais barato. Além de ter preços acessíveis, é um destino para quem gosta de trilhas e de lugares históricos.

O que você precisa saber sobre o Nepal: situado na cordilheira do Himalaia, é um país de economia agrícola e, na maior parte, pobre (o que explica a moeda subvalorizada). Mas é também um dos roteiros mais procurados por mochileiros por causa da sua cultura, arquitetura e templos históricos. Outra curiosidade: é lá que fica o monte Everest, o pico mais alto do mundo.

Kathmandu é a capital. Lá, você poderá turistar nos famosos tuk tuk, aqueles veículos motorizados de três rodas que fazem passeios pelo local, visitar os diversos templos localizados na cidade e também fazer trilhas. A média de gastos é de US$ 20 por dia.

Dá para dizer que Pokhara é o destino turístico mais barato do mundo para mochileiros. A média de gastos é de US$ 15 por dia. Situada em meio à cordilheira do Himalaia, é ponto de partida para várias trilhas. Conta também com uma estrutura bacana de restaurantes e bares.

2. Chiang Mai, na Tailândia

Viajar para a Tailândia é se deparar com um destino de paisagens naturais incríveis, gastronomia exótica e um povo acolhedor. Quando se fala no país, a primeira cidade que vem à cabeça é Bangkok, capital cosmopolita com inúmeros bares, restaurantes, boates e festivais. Mas pouca gente conhece Chiang Mai, segunda maior cidade da Tailândia e uma das mais interessantes para quem quer fazer um mochilão barato.

A média de gastos diária é de US$ 19. O bacana de Chiang Mai é a cultura: lá, você encontrará mais de 300 templos religiosos para visitar. Se quiser, pode inclusive planejar um ou dois dias inteiros de passeio pelo local, caso queira conhecer a maior parte das construções. Os passeios de elefante são outro atrativo da cidade, que conta ainda com um bazar de compras à noite, para quem quer levar na mala algum item da cultura local.

Conhecida especialmente por sua espiritualidade (muito por causa da quantidade de templos), Chiang Mai também é um roteiro legal para quem está em busca de uma viagem de autoconhecimento e quer aliar isso ao mochilão. O estilo de vida por lá, com yoga, comida orgânica e uma rotina mais simples, também ajuda a trazer uma atmosfera de paz interior e qualidade de vida.

3. Quito, no Equador

Se a sua ideia é viajar pela América Latina e, ainda assim, manter o planejamento de fazer um mochilão barato, invista em um roteiro pelo Equador. O país não costuma ser um dos mais procurados do continente (como Peru e Argentina, por exemplo), o que faz com que os preços por lá sejam mais em conta quando comparados com outros destinos da região.

A capital, Quito, é conhecida pela qualidade de vida, que é muito elogiada por quem visita a cidade, e pela sua infraestrutura. Você encontrará excelentes hostels, pousadas e restaurantes. O gasto médio é um pouco mais alto, mas ainda assim barato: US$ 23 por dia.

Para quem gosta de passeios históricos, é a pedida certa: Quito conta com um dos centros históricos mais bem preservados da América Latina. Além disso, é emoldurada por paisagens naturais incríveis: o vulcão Quilotoa, que pode ser visitado de ônibus (o ideal é se informar com um guia local sobre valores), e o Parque Nacional Potocaxi. Outra atração bastante conhecida é o teleférico, que corta a cidade.

4. Kiev, na Ucrânia

Os países do Leste Europeu dificilmente entram na rota de quem faz mochilões, o que é uma pena, porque eles têm muita cultura e belas paisagens a oferecer. Kiev, na Ucrânia, é um dos roteiros mais baratos da região. Com a crise pela qual o país passou em 2014, os preços ficaram ainda mais em conta. O gasto médio é de US$ 20 por dia.

O bacana de Kiev é que ela é praticamente um museu a céu aberto (assim como boa parte das cidades europeias), com prédios históricos, arquitetura encantadora, cafés, galerias etc. Um dos mais importantes centros industriais e educacionais da Europa Oriental, conta com diversas universidades. Ela também é belíssima em paisagens naturais e é ponto de partida de passeios para a costa da Crimeia e pelo Mar Negro, um dos mais famosos destinos turísticos do mundo.

5. Cracóvia, na Polônia

Pouca gente sabe que no meio da Europa, entre os destinos mais caros do mundo, está Cracóvia, cidade polonesa que encanta pela arquitetura deslumbrante e, é claro, pelos preços em conta. Com palácios, castelos, museus e igrejas, o passeio é ideal para quem gosta de conhecer a história e cultura locais.

Você também vai encontrar restaurantes muito bons, com comidas típicas da Polônia e de outros países da Europa. Com pouco mais de 800 mil habitantes, é considerada uma das cidades mais bonitas do continente europeu. A média de gastos por dia é de US$ 26.

Além de planejamento, para fazer um mochilão acontecer é preciso investir em bons equipamentos, que vão acompanhá-lo durante toda a viagem. A mochila é o principal: não pode ser muito leve (para não rasgar), nem muito pesada (para que você consiga carregá-la durante a viagem), e tem que estar bem acomodada ao seu corpo.

Por isso, se você já está planejando fazer um mochilão barato pelo mundo, leia nosso post e saiba como escolher a melhor mochila para você!

Tags:
Blog Comments

[…] Hoje, uma unidade da moeda boliviana (Boliviano) equivale, em média, a 46 centavos do nosso real. Ou seja, tudo pode sair mais em conta em relação a outros países latino-americanos. Por exemplo, os gastos com translado pelo país variam muito: as passagens de ônibus podem ser de 10 a 80 reais por pessoa, tudo depende da distância. De qualquer forma, pode ser considerado um destino barato para se fazer mochilão. […]

Deixe um comentário

Share This